Meninas na janela

Posted: 23/07/2012 in A vespa erotiza
Etiquetas:, , , , , , ,

Um dia pude ver de perto a confirmação do que sempre ouvi sobre as mulheres: Gostam de serem admiradas. Havia duas amigas, inseparáveis desde a infância, que moravam num pequeno vilarejo provinciano, com ares “italianados”, no interior de São Paulo, onde casos inusitados acontecem em todas as instâncias, inclusive sexuais. Quando ainda eram pequenas e com ares incontestáveis da tenra infância, já despertavam a atenção pela beleza. Não detinham a perfeição esperada pelos padrões habituais, mas exibiam uma harmonia inexplicável. E a usavam com uma habilidade nada infantil para amolecer os corações sempre apressados dos adultos. Cresceram mantendo as experiências da manipulação de pessoas e a perturbadora beleza física agora com formas de mulher, os pelos, os mamilos e as ancas arredondadas. E inseparáveis iam seduzindo tudo e todos na busca pela satisfação de seus intentos inocentes. Mal sabiam elas, o poder que tinham entre as pernas. Quantas punhetas inspiravam por noite, naqueles quartos onde o tesão já havia se arrefecido pelos vínculos sombrios com a moralidade. Coisas que sufocam a parte mais visceral da vida, talvez a única que poderia ostentar uma absoluta verdade: o sexo!

Já na idade juvenil as primeiras experiências amorosas despontavam juntamente com a latente sensualidade, sufocada até então pelas travessuras de infância.

Dois rapazes da mesma família que havia se mudado há pouco menos de um mês para a casa de frente de uma das meninas, imediatamente chamaram atenção das mães. A família era boa, os rapazes formados e cheios de boas intenções. As duas meninas se molhavam de tanta curiosidade e não demorou muito, foram notadas. Mas ao contrário do esperavam todos do vilarejo, foram desdenhadas solenemente. Não se comoviam com a abundancia de sensualidade, os seios sacolejastes e as coxas roliças. Não se deixavam vencer pelos traseiros duros e empinados envoltos em vestidos fluidos e reveladores. Era tudo muito obvio para eles. E isso despertou comoção da parte dos outros homens do vilarejo. Num fim de tarde de domingo, o vilarejo estava quase vazio, dia de Missa. E quando os últimos raios de sol já davam lugar para o escuro da noite, as meninas resolveram apostar no imprevisível.

Puseram-se diante da janela, a meia luz desenhando as belas silhuetas e começaram a se tocar carinhosamente. Demoradamente, as mãos deslizavam pelos corpos em concordância com os beijos e os sussurros barulhentos. As bocas percorriam as partes mais íntimas do corpo sem nenhum pudor. Os rapazes que conversavam sobre as trivialidades da vida, naquela tarde, finalmente olharam pras moças com algum interesse. Acomodaram-se diante da janela da sala enquanto assistiam com os olhos brilhantes aquela cena que de tão excitante não parecia surreal. Vez por outra, as meninas lançavam um olhar travesso em direção a casa dos rapazes, na certeza de que estavam sendo observadas E o balé muito bem ensaiado pelo desejo mútuo prosseguia. Os rapazes já não se agüentavam mais e a essa altura, já haviam aberto as cortinas, num claro sinal de que queriam participar daquilo.

Quando abriram os olhos lânguidos, onde nas pálpebras pesavam os sinais do quase êxtase e observaram que um deles expunha para fora da calça, aquele órgão reluzente e latejante que elas tanto desejava, uma delas se retorceu num orgasmo sonoro. Os rapazes então foram ao delírio com os gritos nervosos da menina e se renderam aos apelos daquela visão luxuriante. Agarraram-se desesperadamente, arrancando as roupas e exibindo os corpos fortes, de músculos definidos, coloração tropical e beijos molhados. Rapidamente, um deles já estava ajoelhado, se deliciando com o gosto do outro que continuava observando as meninas. As duas, numa mistura de perplexidade e dúvida, diminuíram o ritmo por alguns segundos. Depois se renderam e assim seguem até hoje. Casaram-se as duas com os dois desejados rapazes e foram morar sob o mesmo teto.

E os prazeres se multiplicaram…

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s