Livre comércio…

Posted: 31/08/2012 in A vespa poética

Livre comércio do verbo amor

O silêncio  veste o mundo

Milhões de bocas caladas

diante das deformidades expostas em gestos dissimulados

Omissões forjadas por ideologias incompletas

E a venda estreita que cerceia a liberdade

Olhos coniventes

Dores convincentes

Atos coletivos

de egoismo impetrado

empoderando o sarcasmo

Agridem sem culpa

violam sem medo

não existe retorno

não há mais poesia no outono

Só valoriza o pão aquele que ainda tem fome

Sobre a barriga cheia do luxo

Dorme o rei incauto

A compaixão anda sem rumo

Todos aguardam salivando

pela próxima noite de natal.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s