Fanfarra

Posted: 09/01/2013 in A vespa poética

 

                    Ô vida inútil!

                Ô vida sem graça!

         Debocha de mim, malvada,

           enquanto o tempo passa.

             Mas a risada mais alta

                 enfim será minha.

             Ao final dessa jornada,

        quando eu bater em retirada

         por tristeza, fome ou tiro.

          Livro-me da tua insolência,                             

                  Provo ao fracasso

                 minha competência 

           E te deixo sem reticência.

          E no frio de minha ausência

                  Há de sentir falta

           do meu mundo colorido.             

         Do meu querer constrangido,

        Minha decência escancarada.

      E todo amor que plantei escondido,

     enquanto teu peso me assustava

         há de tecer na madrugada

           milhões de campos floridos.

           Dispersos. Quase Infinitos.

         Do tamanho dos meus amores.

 

Anúncios
Comentários

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s